Páginas

20 de mai de 2012

Livro: A Rainha dos Condenados

De vez em quando eu fico com vontade de ler sobre vampiros. É legal, divertido, tem toda uma mitologia por trás, enfim, eu curto.
Já  tinha lido o "Entrevista com o Vampiro" e o "Vampiro Lestat" há muito tempo, que são os dois primeiros livros da série, conhecida como 'Crônicas Vampirescas' que tem 12 livros no total - cada um com a sua independência, porém me parece ter uma ordem lógica. É como se cada livro fosse a resposta ao anterior - pelo menos foi isso que percebi nesses primeiros 3 livros.
No caso, "Entrevista com o Vampiro" - que tem o filme com o Tom Cruise e Brad Pitty, seria o primeiro, contado por Louis (Brad) para um jornalista revelando a sua história e descrevendo o Lestat (Tom) como o cara mais malvado do mundo. Então nesse mesmo universo, "O Vampiro Lestat" conta justamente o lado dele sobre os acontecimentos, e sua busca pela origem dos sugadores de sangue. E diga-se de passagem, Anne Rice vai até o antigo Egito, na época dos faraós, para mostrar o casal original.
Nesse terceiro livro, ela continua a história, e explica com detalhes como os vampiros surgiram.
Ao longo do texto fui percebendo que muito da "originalidade" de histórias como Vampire Diaries não existe de verdade. Anne Rice já disse que vampiros e bruxas andam juntos em sua criação. Outra coisa que a autora já previa era a homossexualidade entre os seres os chupadores de sangue. Antes de Charlaine Harris - autora de True Blood - descrever os imortais como imorais, Anne Rice já deixava isso disfarçado, mas claro em suas páginas. Vampiros são seres carnais, que gostam do prazer não importa de onde vem. Entre outros detalhes que só lendo o texto e vendo as séries de vampiros por ai que se percebe.
Pensando um pouco, se você já está pressupondo que vampiros existem, qual o problema de bruxas e outros serem sobrenaturais existirem também? Isso já é um pensamento antigo meu... Se você acredita em um ser, porque não acreditar em todos? Qual a diferença entre eles? Porque vampiros - mortos vivos que vivem de sangue humano - são mais "reais" que bruxas - pessoas que conseguem conversar com os espíritos, controlá-los a algum nível. E o mesmo vale para Lobisomens, ou Zumbis. Em um mundo em que existe um, o que impede de existirem os outros?
Mas voltando ao livro, tenho que confessar que levei muito tempo pra ler. A verdade é que a história começa a ficar meio enrolada e detalhada demais. Além disso, não existe exatamente um personagem principal. A narrativa é feita por mais que 4 vampiros. E os capítulos não tem muita conclusão, até eles se entrelaçarem no final. Sempre quando me acostumava com o personagem que estava narrando e me interessava em saber mais, o capítulo acabava e vinha outro. Às vezes dava vontade de pular os capítulos e ler só o que se relacionava com determinado personagem primeiro. E até aprender quem é, qual a importância para a história geral, como esse ser se relaciona com a Rainha... Fica um pouco cansativo.
Bom, é livro meio básico se você gosta de vampiros. Fizeram o filme dele também, e assim que ver faço uma resenha aqui comparando os dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário