Páginas

13 de out de 2012

Livro: Anjo da Morte

Esse é o terceiro livro da coleção dos "Karas" escrito pelo autor brasileiro Pedro Bandeira.
O livro é bem didático, e como tal costuma ser usado como livro obrigatório no colégio. Foi assim que conheci pela primeira vez esse grupo fantástico de crianças, que se denominam Karas - Calú, Magri, Crânio, Chumbinho e Miguel. Li o primeiro livro, Droga da Obediência, quando tinha 11 anos, na quinta série fundamental. O livro é tão memorável, que até hoje lembro da história com bastante perfeição. Mas acho que perdeu um pouco a graça porque era livro obrigatório, e talvez por isso nunca tenha corrido muito atrás da continuação - até porque os livros são bastante independentes.
Até que um dia recentemente, encontrei em na barraquinha que fica na faculdade de letras da UFRJ o livro super baratinho (usado, mas em perfeito estado). Não resisti e comprei.
Como todo o livro para ser usado na escola, ainda veio com aquelas perguntas de interpretação de texto...

Anjo da Morte fala sobre uma conspiração nazista para dominar a América Latina e restabelecer o IV Reich. Como em toda a boa história, temos que ter um vilão bem estabelecido. E como Hitler já é considerado o maior vilão de todos os tempos, isso acabou sendo mantido.
A realidade dos campos de concentração chegam através da história do professor de teatro do Calu, um sobrevivente que viveu refugiado no Brasil, e o assassinato dele que gera o envolvimento dos Karas na investigação policial.
A história é bastante surreal, e o final não me convenceu muito. Não fez sentido ele matar o amigo só para não ter sua identidade revelada. O professor provavelmente guardaria o segredo, porque não? Mas isso é muito provável a ser pelo fato de eu já ter passado da idade de ler esses livros, e como gosto bastante de series policiais acabo vendo alguns erros.
Outra coisa é que o Nazismo é simplificado como Mau. Os nazista são maus. Mas ao mesmo tempo, o lar da juventude brasileira (instituição de caridade criada pelo Anjo da Morte) tirava as crianças da rua, dava casa, comida e um treinamento. Pode não ser a melhor profissão do mundo, mas era uma profissão. No final, com a organização desfeita, essas crianças ficaram sem amparo mais uma vez.
É... talvez a complexidade entre o bem e mau esteja no entre linhas. É claro que não existem desculpas para os campos de concentração durante a 2ª Guerra Mundial, mas era uma guerra, e muitas coisas ruins aconteceram. E não adianta colocar a culpa todos nos alemães. A história é escrita pelos vencedores.

Enfim, esse livro é o 3º livro dos Karas. Me parece ter sido escrito pensando em ser trabalhado em sala de aula. Só de escrever aqui sobre ele várias coisas que não me ocorreram antes sobre o livro vão aparecendo.

Mas uma coisa gostaria de deixar claro: Desde que li o primeiro livro, Droga da Obediência, lá com os meus 11 anos, sempre achei que eles deveriam virar uma série a la Sítio do pica pau amarelo.
Esses livros pedem uma adaptação audiovisual bem feita.
A história é super bem feita, os personagens são simpáticos. A receita para um seriado de sucesso tá ai. - para um público infanto juvenil, claro!...

Como comprei o livro no sebo/barraquinha a capa foi essa -->

Mas que capa feia. Quem foi o editor que deixou isso acontecer?
Alguém sabe me explicar o significado dela?

Um comentário:

  1. A Atual é Doberman, e o titulo a capa é amarela . Esta capa num tem nada a ver com a historia *-*

    ResponderExcluir